Atendimento: Segunda a Sexta - Das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h. Sábado, das 8h às 12h. - Telefone: 3241-2150
A paróquia

Clero

Servos a serviço do reino de Deus
Padre Luiz Roberto Magalhães Leite/Zucka
Carlos Duque – diácono permanente

A história da Paróquia

Breve histórico

Rita Couto*

 

 

No mês de abril do Ano Santo de 1950, os padres Redentoristas realizaram uma missão especial na Colônia de São Pedro. Os Padres Nogueira e Vieira percorreram todo o bairro e organizaram uma procissão, levando uma cruz, que saiu da Igreja de São Pedro em direção ao local, ainda repleto de mato, onde seria erguida a primeira igreja em honra a Nossa Senhora de Fátima da cidade de Juiz de Fora. Ali celebraram a primeira missa, no terreno que foi doado pelo senhor José Lourenço Kelmer para a construção da capela.

Preocupados com a evangelização das muitas crianças que viviam na região, os redentoristas pediram que voluntários se dispusessem a dar catequese. Assim, em agosto de 1950, tem início a primeira turma de catecismo, graças ao esforço e à dedicação da senhora Maria Perpétua Hagale Machado. Como ainda não havia igreja, os encontros aconteciam aos domingos, sob a sombra de uma frondosa árvore, que ficava na atual Rua João Virgulino.
Para angariar fundos para a construção do templo, uma parte do terreno doado foi terraplenada e nela foi montada uma barraca de madeira, lona e folhas de imbiri, chamada de coreto, onde eram feitos bingos e vendidos doces e pastéis.

Cerca de dois anos depois, em 1952, com o dinheiro arrecadado foi erguida uma pequena capela. Com o aumento do número de fiéis e atividades, em 1954 iniciou-se a construção de uma igreja maior, que, de acordo com o projeto inicial, seria erguida sobre um salão, com o objetivo de oferecer espaço mais adequado aos trabalhos sociais.
Os tijolos foram feitos na atual Cidade Universitária e, com a colaboração e empenho de toda a comunidade, em aproximadamente um ano, o salão estava pronto, mas o segundo andar, destinado exclusivamente ao culto religioso, nunca foi construído.

Além de servir para as celebrações religiosas e para a catequese, esta segunda igreja de Nossa Senhora de Fátima era utilizada para aulas de corte e costura, de canto, teatro e diversas atividades sociais.
Foi ela quem abrigou, em uma pequena sala, os primeiros alunos do curso primário, que deu origem à atual Escola Municipal Tancredo Neves, e a primeira seção eleitoral da Cidade Alta.

Com a chegada do Padre Nilton Fagundes Hauck em 1979, as missas passaram a ser celebradas todos os sábados, às 19 horas, e a capela já não comportava o número de fiéis. Para arrecadar recursos para a ampliação, Padre Nilton organizou a tradicional festa em honra à padroeira, no dia 13 de maio. Assim tiveram início as obras da atual Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

Rita Couto é jornalista, escritora e integra as pastorais de Comunicação, Ministério Extraordinário da Comunhão Eucarística e Liturgia, na Comunidade de Santana.